Política de conteúdo local deve ser definida dia 16

conteúdo local

13 fev Política de conteúdo local deve ser definida dia 16

Reunião será coordenada pela Casa Civil e terá a participação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho filho, disse semana passada que o governo deve fazer uma reunião ampla no próximo dia 16 para definir a nova política de conteúdo local para o setor de óleo e gás. Segundo Coelho Filho, a reunião será coordenada pela Casa Civil e terá a participação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O ministro afirmou que ao longo das últimas semanas, o governo tem ouvido diferentes representantes do setor, incluindo a Petrobras e a Firjan.

O ministro disse que a maior preocupação gira em torno da retomada dos investimentos em produção e exploração de petróleo e gás, de modo a ter um crescimento sustentável e duradouro. Para alcançar esse objetivo é preciso definir um programa claro de leilões que estabeleça a realização de certames a cada ano. “É preciso que o Brasil entre na rota das grandes empresas de produção e exploração”. Questionado sobre a prorrogação dos incentivos do Repetro, o ministro disse que tem conversado com o Ministério da Fazenda para que a prorrogação seja definida até o início de março.
O governo adiou pela segunda vez a reunião do comitê que poderia bater o martelo nas novas regras de conteúdo local válidas para a 14ª rodada de licitações de blocos de petróleo e gás. Prevista inicialmente para 06/02, a reunião foi reagendada para 09/02, na tentativa de conciliar, ainda que parcialmente, as diferenças entre os integrantes do comitê.
Longe de um consenso, o encontro foi adiado de novo, por orientação do Palácio do Planalto. O comitê diretivo do Pedefor -sigla para o Programa de Estímulo à Competitividade da Cadeia Produtiva, ao Aprimoramento e ao Desenvolvimento de Fornecedores de Fornecedores de Petróleo e Gás – está rachado. Há consenso em torno da necessidade de ajustes das regras, mas persiste um desencontro sobre o grau de abertura necessário.
 
Nenhum comentário

Ecrever comentário