Decisão tardia pode colocar em risco operação de navios após ratificação da Convenção de Água de Lastro

27 nov Decisão tardia pode colocar em risco operação de navios após ratificação da Convenção de Água de Lastro

Em 2004, após anos de discussões, a IMO definiu na Convenção BWM 2004 os critérios para tratamento da água de lastro estabelecendo que a norma entrará em vigor quando se atingir 30 países signatários e 35% da tonelagem global dos navios. Atualmente, existem 44 países que assinaram a convenção, incluindo o Brasil, e 32,86% da tonelagem total dos navios. A grande expectativa é em relação à adesão do Panamá, que tem bandeira de conveniência com incentivos para que armadores do mundo todo registrem seus navios com a bandeira do país. A ratificação da Convenção pelo Panamá permitiria que norma entrasse em vigor, e a partir daí os armadores teriam que adequar suas embarcações seguindo cronograma definido pela IMO.
O Grupo VICEL representa com exclusividade no Brasil o Sistema de tratamento de água de lastro BALPURE®, desenvolvido pela De Nora Water Technologies (antiga Severn Trent De Nora). O BALPURE® tem aprovação na Organização Marítima Internacional e foi certificado com Type Approval pela BSH Germany e Bureau Veritas. Tem excelente custo-benefício para novas embarcações ou retrofits, pois possui baixo custo de operação e manutenção.
Embora a situação da norma ainda não esteja definida, o Grupo VICEL avalia que os armadores deveriam se adequar logo para não haver uma corrida para a entrega de equipamentos depois. De acordo com o Diretor Superintendente da empresa, Helio Brasileiro, até que se chegue a um consenso, o dilema do armador é se ele antecipa o investimento enquanto o navio está sendo construído ou se aposta que a norma vai demorar a entrar em vigor e deixa para instalar o equipamento depois. “O risco é haver uma corrida do mundo inteiro para a adaptação quando a norma entrar em vigor. Hoje, conseguimos entregar o equipamento em três meses. Quando entrar em vigor e a demanda aumentar, não sabemos se manteremos esse prazo”, afirma. Brasileiro concedeu entrevista recentemente a Revista Portos e Navios em matéria que abordou o tema água de lastro, que pode ser lida na integra na seção Clipping de nosso site.
Tags: