08 de junho: Dia Mundial do Oceano

08 jun 08 de junho: Dia Mundial do Oceano

dia mundial do oceanoHoje, 8 de junho, é o Dia Mundial do Oceano (World Oceans Day). A data, reconhecida pela ONU, foi criada com objetivo de conservar os mares e mostrar como as nossas ações têm impacto na biodiversidade presente nas águas salgadas. Os oceanos fornecem comida, regulam nosso clima, oferecem compostos para potenciais medicamentos e geram a maior parte do oxigênio que respiramos. Nada mais justo do que um dia para lembrar a importância dos mares para a Terra.

Para o Grupo VICEL, essa data é especial porque, há 21 anos, a empresa se dedica a apresentar soluções ao mercado offshore (através de produtos e serviços regulados pela IMO-Marpol), que preservam esse ambiente.

Cerca de 71% da superfície da terra são cobertos pelos oceanos. Eles representam uma importante fonte de alimento, emprego, energia, além de divisas para as nações com aberturas na costa marítima. Sendo assim, as questões relacionadas aos oceanos assumem importância fundamental para o povo brasileiro.

Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Zona Costeira Marinha do Brasil se estende, na sua porção terrestre, por mais de 8.500 km, abrangendo 17 estados e mais de quatrocentos municípios, distribuídos do Norte equatorial ao Sul temperado. Vai da foz do rio Oiapoque, no Amapá, ao Chuí, no Rio Grande do Sul.

Toda essa região é extraordinariamente diversa. O litoral é composto por águas frias, no Sul e Sudeste, e águas quentes, no Norte e Nordeste, dando suporte a uma grande variedade de ecossistemas que incluem manguezais, recifes de corais, dunas, restingas, praias arenosas, costões rochosos, lagoas, estuários e marismas.

Essas áreas abrigam inúmeras espécies de flora e fauna, algumas endêmicas (só ocorrem nesses locais) e ameaçadas de extinção. Destacamos os recifes de coral, aclamados como os mais diversos habitats marinhos do mundo.

Nossa vida depende dos oceanos, por isso, vamos preservá-los, sempre tendo em vista nosso lema Águas Tratadas, Consciência Limpa!

Com informações do ICMbio – Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade e Veja