Grupo VICEL investe em dessalinização de água para a indústria Onshore

dessalinizacao

23 maio Grupo VICEL investe em dessalinização de água para a indústria Onshore

Em tempos de escassez de água em diversos países e estados do Brasil, a dessalinização da água do mar, que é uma técnica já bastante conhecida na indústria Offshore e na qual o Grupo VICEL possui expertise, tem se apresentado como uma solução para o problema também na área Onshore, onde a empresa tem investido na área de novos negócios.

Com a crise hídrica brasileira recente, a indústria Onshore, que só em São Paulo consome 40% de toda a água disponível para abastecimento, segundo o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), tem precisado rever seu processo de produção e consumo de recursos hídricos, principalmente, devido à demanda de água doce por outras áreas prioritárias, como consumo humano, agricultura e outros fins potáveis. E a dessalinização é uma das soluções que tem ganhado espaço em sua operação. O Engenheiro de Vendas do Grupo VICEL, Victor Carvalho, fala um pouco desse cenário. “Os oceanos cobrem mais de 70% da superfície da Terra e contêm 97% da água do planeta, sendo isso incomparável ao pequeno volume de água doce que possuímos. Por muito tempo, pensou-se como retirar o sal da água do mar e torná-la apropriada para consumo poderia ser possível. A energia necessária para esse processo era muito custosa e, com isso, inviabilizava o uso da água do mar para diferentes fins. Porém, recentemente, graças às novas tecnologias, os custos foram reduzidos e enormes usinas de dessalinização estão sendo abertas ao redor do mundo. O uso da técnica vem crescendo. Ela já existe em 150 países e tem se mostrado bastante funcional e promissora na região semiárida do Brasil, por exemplo. O Grupo VICEL, atento às inclinações do mercado, viu uma oportunidade para expandir sua atuação para o setor Onshore”, afirma.

Victor explica como é o processo de transformação dessa água, que não é apta para consumo ou para aplicação em processos industriais. “A água do mar contém diversos sais minerais que podem se encrustar nos metais dos equipamentos, como caldeiras e tubulações, por exemplo, danificando o seu funcionamento. A dessalinização, nada mais é, do que a retirada dos sais minerais dissolvidos na água, que não podem ser eliminados pelo processo de filtragem. Para isso, utilizamos a osmose reversa, que como resultado apresenta a separação entre água pura e salmoura. Ela retira os sais minerais da água e a torna própria para ser utilizada em processos industriais. A potabilidade dependerá das definições em contrato, das necessidades do cliente. Em casos em que haja pretensão de uso para consumo humano, para que não ocorra qualquer prejuízo à saúde devido à ausência de sais minerais, essa água precisa passar pelo processo de remineralização, quando é diluído um pouco desse sal mineral na água. Tudo depende do nível de sólidos que o cliente deseja dissolvido no produto final. Alguns casos são mais restritivos do que outros”, explica.

A dessalinização é utilizada até mesmo em água doce. Carvalho explica que essa água também possui sais minerais contidos que fazem bem para o ser humano. Mas, em alguns processos industriais, como os que envolvem caldeiras e evaporadoras, por exemplo, é necessário que eles sejam removidos. Casos como esse são mais acentuados no Nordeste do Brasil, devido à alta salinidade que a água da região apresenta.

De acordo com Victor Carvalho, a grande diferença entre o processo de dessalinização na indústria Offshore para a Onshore é o descarte da salmoura. “No setor Offshore, esse sal pode ser descartado em alto mar, sem impacto ambiental. Na área Onshore, esse resíduo não pode ser depositado em qualquer lugar, pois o sal altera a condição química do solo, acarretando em prejuízos para a agricultura e meio ambiente. O descarte então é feito de outras formas, como por evaporação, destilação, diluição no esgoto sanitário, transformação em sal, em baterias. Existem diversos fins para essa salmoura”, explica.

O Engenheiro de Vendas diz que a investida do Grupo VICEL na oferta de serviços de dessalinização para a indústria Onshore traz como diferencial para os clientes a sólida experiência de 21 anos da empresa no setor Offshore. “Temos experiência em dessalinização em um ambiente muito mais hostil, que é o alto mar, com um timing muito mais preciso e que requer uma operação muito mais controlada. Então, fazer esse serviço em terra firme, com a possibilidade do nosso corpo técnico supervisionar o equipamento com uma acessibilidade bem maior é muito mais simples do que o trabalho que já fazemos. É a mesma tecnologia em um ambiente diferente, muito menos complexo. Os técnicos são da VICEL, possuem sólida experiência e os fabricantes dos equipamentos e sobressalentes são os mesmos de nossa atuação no setor Offshore. Os sistemas de osmose reversa possuem simplicidade de operação, confiabilidade e baixo consumo de energia. São customizados para atenderem as necessidades dos clientes e os modelos são definidos em função da quantidade e qualidade da água produzida”, conclui.

Nenhum comentário

Ecrever comentário