VICEL possui modelo de contratos BOO/BOOT para atender Indústrias em geração e reuso de água

An undated company photograph shows Hyflux Ltd.'s SingSpring Desalination Plant in Singapore, provided to the media on Friday, Dec. 12, 2008. Hyflux Ltd., building the world’s largest membrane-based desalination plant, rose by the most in a month in Singapore after forecasting record profits for this year and next as governments boost spending to support growth. Source: Hyflux Ltd. via Bloomberg News
EDITOR'S NOTE: EDITORIAL USE ONLY. NO SALES. NO ARCHIVING.

24 abr VICEL possui modelo de contratos BOO/BOOT para atender Indústrias em geração e reuso de água

A VICEL é especialista em geração de água para aplicações industriais e tratamento de efluentes para reuso e oferece à Indústria em geral o modelo de contrato BOO/BOOT.

Entenda as características da contratação

membranaA VICEL oferece ao mercado as modalidades de contratação BOO e BOOT, sigla de “Build, Own, Operate (and Transfer)”, um avanço no modelo tradicional de fornecimento, que, habitualmente, envolvia a necessidade de enlace do cliente com diversos fornecedores e licitações. Essas modalidades contratuais evitam a fragmentação de serviços que ocorrem com frequência no setor de geração de água, já que integram somente o contratante e o contratado.

Os modelos de negócio BOO/BOOT são uma evolução na medida que o cliente não precisa contratar o equipamento, instalação e manutenção de forma separada, conforme explica o Diretor Superintendente da VICEL, Helio Brasileiro. “O cliente contrata a solução completa, que inclui o projeto do sistema, sua instalação, operação e manutenção pelo tempo determinado. A VICEL, por meio dos modelos BOO/BOOT reúne todas as competências em um único contrato e assume a responsabilidade por todo o processo. Ao final da vigência do contrato, o cliente tem a opção de transferência dos ativos. Ele pode comprar o sistema por um valor depreciado e contratar apenas os nossos serviços de operação e manutenção”, explica.

Ao invés de definir as características do equipamento, o cliente definirá as características do produto final que seu processo industrial demanda. A contratada por sua vez deverá atender ao nível de qualidade especificado no projeto. Helio explica que a VICEL adquiriu a capacidade financeira necessária para investimentos deste porte após a aliança estratégica com a SoEnergy International. “Se o cliente precisa de 50 mil m³ de água por dia, nossos engenheiros farão o projeto da planta de dessalinização, com a estimativa do valor do investimento para a aquisição dos sistemas. O alto investimento (CAPEX) que muitas vezes atrasa ou inviabiliza o empreendimento é realizado pela VICEL e remunerado ao longo de 10 ou 20 anos de operação. Dessa forma, o cliente transforma CAPEX em OPEX e reduz consideravelmente o seu nível de endividamento”, afirma.

A vigência do contrato terá um impacto também nas condições comerciais. Quanto mais longo o contrato, melhores as condições de pagamento.  A remuneração é feita por medições mensais, como uma parcela fixa (franquia chamada de “take-or-pay”) e uma parcela variável (m³ consumido); ou simplesmente pela disponibilidade da planta (capacidade instalada). Isso é estabelecido de acordo com a característica e porte do projeto, explica Helio.

Importante destacar que a VICEL oferece opções de operação e suporte remotos e aplicação de tecnologia integrada (água + energia, em conjunto com a SoEnergy) ideais para localidades não atendidas pelas concessionárias de energia e saneamento.

 

Serviços e mercados atendidos 

Planta de Dessalinização 2 (2)A aplicação desse modelo de contrato se dá para os serviços de dessalinização de água e tratamento de efluentes para reuso, como afirma Brasileiro. “Já tínhamos alta performance no setor offshore e decidimos ampliar nossa atuação para o setor onshore (Industrial). A ideia era diversificar, buscando novos produtos e mercados. Começamos a mapear o mercado, os potenciais clientes e suas necessidades e estabelecemos o nicho onde poderíamos atuar de forma eficiente e competitiva. Os sistemas MBR (Membrane Bio-Reactor) utilizados pela VICEL em tratamento de efluentes para reuso são os mais compactos do mercado e possuem o menor consumo elétrico por metro cúbico de efluente tratado. Com uma estrutura completamente vedada, livram a operação de odores e podem ser instalados em locais de grande circulação de pessoas como condomínios, hotéis e shopping centers, entre diversos outros empreendimentos comerciais e industriais”, explica.

 

Os principais benefícios desse modelo de negócios 

Ao transferir para uma empresa especializada todo o risco no processo de prospecção, captação e tratamento de água e efluentes, o cliente fica isento de investir recursos próprios ou de assumir responsabilidade que não tenha a ver com sua atividade-fim. Todos os investimentos necessários à implementação, operacionalização e manutenção do sistema de captação e tratamento de água e efluentes são assumidos pelo prestador de serviço. Cabe à contratada o desenvolvimento do conceito, aplicação da tecnologia, desenvolvimento do projeto, instalação do sistema, partida e operação da planta. E o início do contrato dá-se quando o sistema entra em operação. Durante a fase de instalação, não é cobrada nenhuma tarifa. E a responsabilidade por atender à legislação, por operar e por manter a planta também é da contratada.

osmose reversaO principal benefício, de acordo com Helio Brasileiro, é a disponibilidade do sistema, pois o cliente delega toda a operação e supervisão para uma empresa que é especialista no assunto, então é como se fosse uma garantia estendida. O cliente sabe que o sistema não vai parar de funcionar, porque dentro desse contrato estão relacionadas as diárias dos técnicos de manutenção, os sobressalentes e os consumíveis que precisam ser aplicados. A VICEL faz a gestão dos ativos e seus planos de manutenção substituindo as peças e componentes por desgaste natural e garante que o sistema obtenha alta performance com o menor custo.

Quando o cliente é encarregado da operação e da manutenção, eventualmente, tem que dar atenção a um sistema mais prioritário na planta, negligenciando o plano de manutenção dos sistemas de tratamento de água e efluentes. A tendência é o sistema perder performance até parar de funcionar. Isso pode gerar um grande impacto em seu processo industrial com prejuízos ainda maiores para o empreendimento. No novo modelo de contrato proposto pela VICEL, se o sistema parar, o contratado é penalizado. Neste caso, o cliente está comprando performance e disponibilidade.

 

Nenhum comentário

Ecrever comentário